Eco Diagonistica

Detecção de Anticorpos Neutralizantes contra COVID-19

Anticorpos neutralizantes (nAb) são capazes de bloquear efetivamente a infecção, impedindo a ligação e entrada do vírus às células e, consequentemente, sua replicação dentro do corpo. Por isso, também são chamados de anticorpos de inibição viral, e são os anticorpos mais associados com a proteção e imunidade.

O SARS-CoV-2, o vírus da COVID-19, utiliza uma subunidade da proteína Spike (S), a subunidade RBD, para ligar-se as células humanas e começar sua replicação. Sendo assim, a maioria dos anticorpos neutralizantes são direcionados a bloquear essa ligação vírus-célula.

Os testes atualmente disponíveis para a detecção de anticorpos contra o SARS-CoV-2 detectam somente a presença de anticorpos. Não são testes capazes de distinguir se os anticorpos são eficazes para a neutralização viral (função neutralizante).

Os testes atuais de detecção de IgG e IgM (mesmo os que usam as proteínas S1, subunidade RBD e proteína S2 como alvo) não pesquisam a função neutralizante. Esses testes indicam somente, se existe, ou não, a produção de anticorpos contra determinadas proteínas (mesmo aqueles testes que liberam resultados em concentração). Portanto, a presença desses anticorpos não necessariamente garante a neutralização do vírus, pois a sua existência não significa FUNÇÃO neutralizante.

Em resumo, os testes para detecção de anticorpos com função neutralizante são contra o domínio RBD da proteína Spike, mas nem todo anticorpo anti-RBD possui função neutralizante.

Para mais informações acesse aqui o PDF sobre o assunto.

ACOMPANHE A ECO